Audi 80/Avant (B4)

desde 1991-1995 lançamento

Reparo e operação do carro



Audi 80/Avant
+ Especificação técnica
+ Motores
+ Sistema de produção dos gases cumpridos
+ Esfriamento de sistema
+ Tanque de combustível e bomba de combustível
+ Filtro de ar e canais airintaking
+ Sistema de injeção
+ União
+ Transmissão e transmissão
+ Suporte de forma triangular de interrupção e direção
+ Sistema de freios
+ Antibloqueio de sistema de freios
+ Rodas e pneumáticos
+ Sistema elétrico de corpo
- Sistema de ignição
   Vários sistemas de ignição
   Princípio de trabalho de ignição
   Corpo executivo
   Sistema "cérebro"
   Impulsos da unidade de controle
   Regulação em uma detonação
   A segurança mede durante o trabalho com o sistema da ignição
   Reparo de sistema de ignição
   Diagnóstica de sistema de ignição
   Distribuidor de ignição
   Sensor de combustão de detonação
   Elementos de alta voltagem
   Substituição de tomadas de faísca
   Tomadas de faísca
   Cheque do momento de ignição
+ Iluminação
+ Dispositivos sinalizadores
+ Dispositivos e dispositivos auxiliares
+ Aquecer-se e ventilação
+ Elementos de corpo
+ Pesquisa de maus funcionamentos
+ Especificações
a5ceabcb


Sistema de ignição

O sistema da ignição fornece a passagem correta do processo da combustão no motor graças a propositadamente faíscas de ignição "de tiro". E tudo ocorre precisamente porque em 3.000 revoluções por minuto médias do motor cada cilindro precisa de 25 faíscas por segundo. Portanto o motor de 4 cilindros precisará de 100 faíscas por segundo, 6000 dentro de um minuto, 360 000 dentro de uma hora e assim por diante.

Aquela ignição pode

Para que em uma faísca liguem a câmara de combustão em geral a faísca pode decair, entre eletrodos de uma tomada de faísca tem de haver tensão de pelo menos o 30000o século. A bateria recarregável dá, contudo, a só 12 V da tensão. Assim, a tensão do acumulador tem de aumentar-se repetidamente. Duração de relâmpago não o décimo, e não 100o, mas mil de frações de um segundo. Uma vez que trabalha um pouco mais cedo ou mais tarde, e a eficiência da ignição, e por meio disso e capacidade de motor vai se abaixar.

Quando há uma ignição?

A faísca tem de decair precisamente no momento oportuno. Contudo para estabelecer quando há este momento mais necessário, não então simplesmente.

A combustão será a mais útil em caso de que a mistura de ar e combustível chameja enquanto mais se comprime. Esta compressão mais alta no motor de quatro ciclos consegue-se no momento atual quando o pistão no momento da realização do processo da compressão sobe do movimento ao movimento abaixo.

Antes que a direção do movimento do pistão troque ao regresso, em uma pequena fração de um segundo desbota-se no ponto mais alto da trajetória. Este ponto chama-se o ponto morto superior (TDP).

Voltar a definição do momento da faísca que se inflama: o momento ideal da ignição, por isso, é naquele momento no qual o pistão só começa o movimento abaixo. A mistura mais comprime-se, e o pistão pode dirigir-se com uma força abaixo.

Apesar dele, no entanto seria incorreto de determinar o momento de ignição precisamente no ponto morto superior. A mistura de combustível e ar precisa de certo tempo (exatamente 1/3000 segundos) para acender e desenvolver a pressão total da combustão. É o momento da ignição pospõe-se ao tempo mais adiantado. E chama-se "um avanço de ignição". "O tiro de começo" de uma faísca, por isso, até, ocorre durante o movimento do pistão, a pressão da combustão consegue-se só um momento depois de passar de VMT.

VMT e avanço de ignição

A ilustração explica os conceitos "topo" e "ponto mais baixo morto". A distância entre eles é o curso (altura de subida) do pistão. A câmara de combustão está entre BMT (2) e borda inferior de uma cabeça do cilindro (1).

Com o aumento de voltas do motor a faísca que se inflama tem de pular antes e antes como – já o mencionamos na seção última – a mistura de combustível e ar precisa constantemente do mesmo tempo para inflamar-se. Só assim a combustão acontece no momento oportuno a saber quando o pistão só começa o movimento abaixo.

A combustão da mistura de combustível e ar depende, contudo, e na sua estrutura. Se o pedal de um acelerador se aperta fora muito pouco ("carregamento parcial"), a capacidade da mistura em câmaras de combustão a reduções de ignição: por isso, incendeia mais lentamente e por essa razão tem de inflamar-se antes.

Última ignição

Em outras situações é necessário que o momento da ignição avançasse a última ignição. A ignição neste caso só acontece quando o pistão passou VMT por muito tempo. Assim, a ignição ocorre praticamente em um passo de lançamento que melhora a composição de gases de escape, mas piora a capacidade de motor. Segundo a ignição supracitada, última só é correto, por exemplo, durante a operação do motor no modo de obrigatório perder tempo (por exemplo, no momento do movimento abaixo de uma colina com o pedal de acelerador lançado).